Artigos

Enaldinho e o business por trás das trollagens

quarta-feira, 13 de março de 2019


Focado no público infantil, o youtuber Enaldinho e seu assessor Pedro Gazzola deram algumas dicas preciosas para quem quer gerir a carreira de um influenciador. O bate-papo ocorreu durante palestra no último sábado, 24, no Festival da Transformação – FT18, evento promovido pela ADVB/RS que acontece neste fim de semana na ESPM Sul, em Porto Alegre.

Mediado por Rafael Martins, CEO do Share, a conversa deixou de lado as trollagens de Enaldinho – famoso por ter feito um vídeo mergulhando numa banheira de “gasolina” em plena crise dos combustíveis no Brasil https://www.youtube.com/watch?v=ljjilgGiifg – para focar na parte comercial, no business por trás das brincadeiras.

Enaldinho começou o canal de forma despretensiosa e agora já possui mais de oito milhões de inscritos no Youtube. Um dos primeiros vídeos fazia a brincadeira das 100 camadas utilizando maquiagem. “Comecei a produzir conteúdo nesse seguimento e em dois meses fui pra um milhão de inscritos. Daí começou a fluir”, explica.

As marcas logo se interessaram. Uma das parceiras mais antigas do canal é a Hot Wheels. “O primeiro vídeo para a marca está com quase três milhões de views e teve impacto perfeito com meu público”, analisa o Youtuber. A parceria entre os dois já dura três anos. Veja um dos vídeos: https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=5TMTxLKuBfA

Toda campanha passa por um filtro, pois alguns pedidos fogem do conteúdo proposto pelo canal. É aí que entra Pedro Gazzola, cofundador da Roda Produções, empresa especializada no agenciamento de influenciadores. Para Gazzola, o youtuber é obrigado a profissionalizar seu conteúdo quando há o crescimento do canal. “Eles são meninos que não têm a linguagem de agência e que no susto acabam ficando de frente com isso, por isso a profissionalização é importante”, explica.

A dupla afirma que há uma preocupação em medir a efetividade das ações, mas eles só conseguem aferir até certo ponto. O próprio anunciante, que deveria passar o feedback sobre aumento – ou não – na venda de produtos depois das parcerias, não o faz. “A nossa parte de entregar o resultado é sempre feita”.

Obviamente, o relacionamento com influenciadores mudou depois do Caso Cocielo. As marcas estão mais atentas e o lastro digital deixado pelos jovens preocupa. No caso de Enaldinho, as precauções foram tomadas antes. “Na época que as polêmicas do passado do Biel surgiram, foi justo quando comecei a trabalhar com o Enaldinho”, explica Gazzola. O profissional e o Youtuber passaram um pente fino no Twitter do rapaz para garantir que não havia nada comprometedor.

Hoje, as fontes de renda são diversas e passam por AdSense, publicidade no canal, Instagram, stories, presenças, livro, peça de teatro, produtos e, até mesmo, merchandising em bonés e copos.

Desenvolvido pela